Na conta

Sonia Racy

20 de novembro de 2013 | 01h10

Além da SRB, a peregrinação, segunda-feira, de Eduardo Campos por SP incluiu Deutsche Bank, Credit Suisse e J.P. Morgan. O candidato à presidência se apresentou como alternativa viável ao PSDB com seu discurso de austeridade, modelo econômico considerado equilibrado e vontade de fazer política de um jeito diferente.

Não se perceberam ataques diretos a Dilma. Mas reparou-se nos elogios a FHC e Lula.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: