Mutirão da Liberdade

Redação

16 de dezembro de 2008 | 06h00

Na falta de polêmicas, o presidente do STF, Gilmar Mendes, está comprando hoje uma briga séria com a Associação Nacional de Defensores Públicos. Ele vai lançar, em Brasília, a Rede de Advocacia Voluntária – que reunirá gente disposta a defender, por amor à causa, presos sem recursos.

É que os defensores lutam há tempos por mais concursos públicos – hoje há apenas 5.000 profissionais dessa área para atender a 420 mil detentos em todo o País – e por melhores salários.

A iniciativa do ministro, logicamente, atrapalha a cruzada. Ao saber das queixas do grupo, Mendes contra-atacou. “Nós vamos ajudar, em vez de reivindicar o direito de não fazer nada”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: