Museus multiplicam acessos virtuais, com pandemia da covid-19

Museus multiplicam acessos virtuais, com pandemia da covid-19

Sonia Racy

12 de abril de 2020 | 00h33

PINACOTECA DO ESTADO

PINACOTECA DO ESTADO. FOTO: PAULO PINTO/ESTADÃO

Sem a opção de ir até museus, amantes da arte buscaram distração para a quarentena em sites culturais. Só para se ter uma ideia, o MAM ganhou cerca de 10 mil novos usuários na sua plataforma online. Eles hoje somam 33.634 visitantes desde que a campanha #mamonline começou.

A Pinacoteca, por sua vez, atraiu 5 mil visitas ao site apenas em março. Esse numero é cinco vezes maior do que a média mensal de dois anos para cá. No Instagram, com a campanha #pinadecasa, o museu também ganhou outros 5 mil novos seguidores do dia 18 de março até a data de hoje.

No Facebook do MASP, a média de interações por publicação dobrou. No Instagram, triplicou. Já o app Masp Áudios, com comentários sobre obras do acervo, obteve mais de 500 downloads em duas semanas.

Na SP-Arte, houve crescimento de 37% nas oportunidades de negócios para as galerias parceiras. Como chegaram a esses números? Consideraram que o usuário, ao interagir com uma obra publicada no site, entra habitualmente em contato direto com o expositor.

Páscoa

Charada do dia: o que nasceu antes, o ovo ou o coelho? E-mails para a coluna.

Tudo o que sabemos sobre:

MAMMASPMIScovid-19coronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: