Musa da folia de SP, Renata Kuerten aprova campanha contra o assédio no carnaval

Musa da folia de SP, Renata Kuerten aprova campanha contra o assédio no carnaval

Sonia Racy

23 de fevereiro de 2017 | 01h30

Foto: Gustavo Arrais

Foto: Gustavo Arrais

A modelo Renata Kuerten se tornou foliã de carteirinha. A modelo estreia no carnaval de São Paulo, na condição de musa do camarote São Paulo, Samba e Carnaval, amanhã, no Anhembi. Já no domingo, ela desembarca no Rio para desfilar, pelo segundo ano seguido, como destaque de chão da Grande Rio, na Sapucaí. Para a coluna, a top confidenciou vontade de se tornar a rainha de bateria e disse concordar com a campanha que as mulheres estão fazendo contra o assédio nos blocos de rua. Confira a conversa:

Você será musa de um camarote no carnaval de SP e vai desfilar como destaque de chão pela Grande Rio. Tem samba no pé? Tenho! Quando fui convidada para desfilar pela Grande Rio, no ano passado, fiz aula de samba com a poderosa Priscila Araújo.

Qual será sua fantasia na Grande Rio? Quais as suas expectativas para o desfile do domingo? Será inspirada na Magia da Paixão e já sonho com a possibilidade de, um dia, ser rainha. Quem sabe, né?

Você é um exemplo de boa forma no mundo da moda. Precisou mudar algo em sua rotina para desfilar no carnaval? Nada em especial. Gosto de me cuidar o ano inteiro, não só por ser fundamental para a minha profissão, mas também por saúde. A minha boa forma acaba sendo reflexo do meu lifestyle.

O que acha da volta do carnaval de rua em SP? Gosta de frequentar bloquinhos? Acho maravilhoso. Adoro a energia do carnaval, é um momento em que todos se sentem livres para se divertir e nada mais. Este ano ainda não fui a nenhum bloquinho, mas pretendo ir.

E concorda com a campanha contra o assédio sexual que as mulheres estão fazendo nos blocos, distribuindo apitos e adesivos para outras mulheres? O carnaval é uma época que gera grande visibilidade nacional. Por isso, acho válido se manifestar e expor ideias e opiniões, e aproveitar para nós mulheres nos defendermos e, mais uma vez, mostrar que juntas somos mais fortes e que podemos e devemos ser quem quisermos ser. Só é triste termos de usar selos, apitos e outras ‘ferramentas’ para exigirmos aquilo que deveria ser o mínimo: sermos respeitadas acima de qualquer coisa. Acho válido.

Além de modelo você é apresentadora. Pensa em deixar as passarelas para se dedicar só à televisão? Não mesmo! Enquanto puder, vou me dedicar às duas profissões. Eu amo apresentar tanto quanto amo modelar. Então, me sinto completamente realizada por poder fazer os dois, não poderia estar mais feliz! /SOFIA PATSCH

Tendências: