Multiplicação dos pães

Sonia Racy

23 de fevereiro de 2014 | 01h04

ACM Neto, prefeito de Salvador, é só sorrisos. Ao acatar ideia apresentada por sua secretaria de Fazenda, usando como exemplo o que a Fifa já faz – fatia o patrocínio dando exclusividade de venda de produto para uma determinada área –, o governo conseguiu que o carnaval baiano seja autossustentável este ano.

Vão entrar nos cofres da cidade R$ 30 milhões – contra R$ 5 milhões em 2013. Sai Ambev e entram Schin e Itaipava na comissão de frente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.