Mulheres manuais

Mulheres manuais

Sonia Racy

21 de julho de 2019 | 00h31

As estilistas e amigas de longa data Silvia Renée e Janaína Ayres se conheceram trabalhando em grandes empresas do mundo da moda. Mas, depois de acumular 15 anos de experiência, resolveram empreender resgatando uma antiga paixão manual: o crochê. Assim nasceu a Tangerina Moon. Agora a dupla – que faz tudo sozinha – comemora o sucesso da série de camisetas com dizeres feministas que caiu nas graças de famosas como Malu Mader e Sarah Oliveira. O motivo do volume de vendas, explica Janaína, é simples: as camisetas expressam o lifestyle da vida de ambas, que cultivam o feminismo no seu fazer diário. “Tudo foi inspirado em nosso próprio trabalho. Se você olhar nossas estampas, vai ver observar que tem nosso dia a dia ali, como mulheres segurando uma linha de crochê”, diz Silvia. “Esse trabalho vem de uma linhagem muito feminina, aprendemos com nossas mães e avós e mantemos isso na Tangerina”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.