MST atira tinta e picha prédio de Cármen Lúcia em BH

MST atira tinta e picha prédio de Cármen Lúcia em BH

Sonia Racy

06 de abril de 2018 | 17h42

Manifestantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e do Levante Popular da Juventude atiraram bombas de tinta e fizeram pichações no prédio de residência da presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia, em Belo Horizonte, nesta sexta-feira.

As pichações dizem “Golpista” e “Lula livre”. Os movimentos dizem que a ministra fez uma manobra ao pautar o HC do ex-presidente Lula antes das ações genéricas sobre prisão após condenação em segunda instância.

Reação no STF

O staff de Cármen Lúcia espera que, com este episódio, a ministra não poderá mais rejeitar uma equipe profissional para manter sua segurança.

Leia mais notas da coluna: 

França assume governo de SP sem definir equipe

Barroso e Dias Toffoli estiveram na Casa de Dom Inácio no feriado

PRÉDIO DE RESIDÊNCIA DA CÁRMEN LÚCIA, EM BELO HORIZONTE

PRÉDIO DE RESIDÊNCIA DA CÁRMEN LÚCIA, EM BELO HORIZONTE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: