Moro vai visitar fronteira do MS e falar de segurança

Sonia Racy

05 de março de 2020 | 00h40

SÉRGIO MORO. FOTO: ALEX SILVA/ESTADÃO

SÉRGIO MORO. FOTO: ALEX SILVA/ESTADÃO

Simone Tebet convidou e Moro topou. Dia 24 de abril o ministro vai ao Mato Grosso do Sul, reduto da presidente da CCJ no Senado, participar de evento sobre segurança pública na capital, Campo Grande. Ele irá também a uma das fronteiras do Estado, que, “por questões de segurança”, não foi informada pela senadora. “O MS é a principal porta de entrada do narcotráfico do País”, justificou, lembrando a morte do jornalista Léo Veras, executado na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com Ponta Porã, a 342 km de Campo Grande.

A senadora quer que o MS seja incluído no projeto piloto Em Frente Brasil, de combate a crimes violentos, já implementado nas cidades do Paraná, Pará, Espírito Santo, Goiás e Pernambuco.

E levará também o ministro na Casa da Mulher Brasileira – de assistência a mulheres vítimas de violência -, que ela inaugurou ainda como vice-governadora.

Data vênia…

Um rápido crescimento de brasileiros inscritos na Ordem de Advogados de Portugal está surpreendendo os da terrinha. A marca bateu nos 323% em dois anos – e a colônia brasileira por lá já chega a 7% do total. Na raiz do fenômeno, o princípio de reciprocidade assinado entre a OAB brasileira e a OA portuguesa, que dispensa estágios ou obrigatoriedade de novo exame.

Essa “invasão” é pano de fundo do I Colóquio de Advocacia Luso-Brasileira, que acontece nos dias 12 e 13 de março, em Lisboa. Será firmado um tratado de amizade e cooperação entre OAB paulista e Conselho Regional de Lisboa.

Pista segura 

A PM comemora a queda das mortes nas estradas – o melhor resultado em 20 anos – e atribui a boa notícia ao maior número de bafômetros. No primeiro bimestre, o total de vítimas foi 17,2% menor que a de igual período em 2019: caiu de 232 para 198. E fevereiro foi o primeiro mês na história em que o número de mortes ficou abaixo de 100. Dos mais de 200 mil motoristas abordados no mês, 4,1% foram autuados.

Dúvidas cruéis

Horas após a posse de Regina Duarte, ontem, muitos brasileiros ainda tinham dúvidas sobre seu papel. Pergunta mais feita nas 24 horas anteriores? Segundo levantamento do Google, foi a “o que Regina seria no governo Bolsonaro”. Também no Top 5 estavam ‘O que ela fez’, ‘por que saiu da Globo’ e ‘o que é ser secretária da Cultura’.

Girls no foco 

Promete ser intensa a primeira edição do festival GRLS!, evento focado na promoção da consciência do empoderamento feminino e LGBTQIA.

Segundo Francesca Alterio, da TF4, durante sábado e domingo as palestras e debates serão na parte da manhã. À tarde, se apresentam as internacionais Kylie Minogue, Tierra Whack e as garotas do Little Mix. Do lado brasileiro, cantam Iza, Gaby Amarantos, Linn da Quebrada e outras.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: