Modus operandi

Sonia Racy

14 de agosto de 2015 | 01h10

A reunião entre Joaquim Levy e dez banqueiros na terça-feira, em Brasília, coincidiu com o anúncio de rebaixamento do Brasil pela Moody’s. O que fez com que os presentes se lembrassem de reunião, em março de 2014, com Dilma e o então ministro Guido Mantega, na qual praticamente o mesmo grupo soube do primeiro rebaixamento de nota de crédito do País desde que o Brasil atingiu o investment grade. Foi pela Standard & Poor’s e causou grande impacto negativo.

Essa coincidência fez com que alguns deduzissem que Levy já trabalhava com a possibilidade de uma notícia pior que não veio – a de viés negativo na classificação. O grau neutro foi recebido com alívio.

Modus 2

No encontro, segundo relato de presentes, o ministro tentou mostrar união entre ele, Nelson Barbosa e Alexandre Tombini e enfatizou a importância de a iniciativa privada se aproximar do Congresso, apoiando pautas. Também pediu sugestões, lembrando que a agenda estruturante levada por Renan Calheiros não está completa.