Ministros interinos, cartas na manga de Temer?

Ministros interinos, cartas na manga de Temer?

Sonia Racy

14 de junho de 2017 | 01h00

Antonio Cruz/Agência Brasil

Sem alarde, Temer vai mantendo o cofre cheio para futuras negociações. É assim que muitos congressistas entendem o fato de ele ter hoje, na equipe, dois… interinos.

O Diário Oficial não havia publicado até ontem a nomeação de João Batista de Andrade para o lugar de Roberto Freire no MinC. E como Osmar Serraglio disse “não” à Transparência, Wagner Rosário… vai ficando.

Letra por letra

Do procurador José Robalinho Cavalcanti, da ANPR, sobre nota de Temer negando ter pedido investigação no caso Abin-Fachin: “O presidente não negou o fato. Negou ter feito o pedido”.

Fez eco

O primeiro gesto marcante de Gleisi Hoffman na presidência do PT mereceu elogio do antecessor, Rui Falcão. Ela criticou, em nota, as agressões à jornalista Miriam Leitão, por petistas, em um voo Brasília-Rio.

O texto da senadora orienta a militância a não agredir pessoas por “suas posições políticas”.

Pouco atrativo

Não desperta entusiasmo no Santander a compra do Banco Original.

Os lados do muro

Na decisão do TSE sobre a chapa Dilma-Temer, o objeto era uma candidatura que cometeu irregularidades. Já a participação do PSDB no atual governo é estratégia de apoio às reformas e à reconstrução do País.

Foi esse discurso que levou Tasso Jereissati a encomendar ao Jurídico do partido que avalie o recurso contra a absolvição da chapa.

Não é não

David Uip, secretário da Saúde de Alckmin, gosta de atender seus pacientes e de contribuir para melhorar a gestão da saúde pública.

Governo, nem pensar.

Outro lado

A Prefeitura informa que “não há nem havia acordo algum” com o Cremesp pelo qual ela devesse avisar antes sobre operações policiais na Cracolândia – como mencionou a entrevista do psiquiatra Mauro Aranha, na segunda-feira.

O texto chama de “equivocadas” as afirmações e diz que a ação do domingo era para “prender traficantes e desmontar barracas do tráfico”.