Para deputado, ministro evangélico do STF já ‘estaria definido’

Sonia Racy

04 de julho de 2019 | 00h40

PRÉDIO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. FOTO: DIVULGAÇÃO/STF

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. FOTO: STF

Evangélico
na corte

Vem circulando entre políticos de Brasília que já estaria escolhido, por Bolsonaro, o nome de um futuro ministro do Supremo ligado aos evangélicos. A interlocutores, o deputado pastor Marco Feliciano — do Podemos-SP — tem afirmado que o indicado, além de representar esse grupo religioso, é um bom conhecedor da Justiça e… jovem.

Outro deputado evangélico, Sóstenes Cavalcante, que é alagoano mas foi eleito pelo Rio, avisa que o juiz carioca (e evangélico) Marcelo Bretas, já mencionado antes para o posto, “não parece ter o perfil ideal para a função” — esclarecendo que fala “em nome pessoal”. Cavalcanti disse à coluna que apoia, sim, a ideia de que o indicado seja jovem, “para ficar na corte por muito tempo”.

Cria quem pode

Enquanto os deputados batiam boca contra e a favor de Moro, anteontem, na CCJ, o deputado Diego Garcia, do Podemos, decidia rejeitar, na condição de relator, uma lei que propunha criar o Sistema Nacional de Combate à Corrupção – seja lá o que isso for.

Motivo? Ele ponderou que só o Executivo, por lei, pode legislar e criar novos órgãos na área da Justiça.

Arquive-se

A Justiça Federal de SP arquivou anteontem o processo contra Edson Aparecido,  ex-secretário e ex-deputado federal tucano. Ele tinha sido acusado de receber R$ 50 mil de caixa 2 da Odebrecht.

Segundo a Justiça, após três anos de apuração da delação dos executivos da empresa… nada se confirmou.

Bday

Para comemorar os 25 anos do Plano Real, o movimento Livres produziu documentário – com depoimentos de Edmar Bacha, Elena Landau, Fernando Henrique Cardoso, Gustavo Franco, Pedro Malan, Persio Arida e Rubens Ricúpero.

A ser lançado no dia 30, em São Paulo, e na primeira quinzena de agosto, no Rio.

Bem-me-quer…

A Associação Nacional dos Procuradores Federais deve insistir e entregar a Bolsonaro – amanhã, se a agenda presidencial não mudar – sua lista tríplice para a sucessão de Raquel Dodge na PGR.

A mesma lista já foi levada a Davi Alcolumbre. Pois cabe ao Senado aprovar – ou não – a escolha do nome feita pelo presidente da República.

Que, ao que tudo indica, não será nenhum dos três sugeridos pela ANPR.

Virada do Cacau

Zé Victor Oliva elegeu Itacaré como palco do novo Réveillon Nº 1.

Serão cinco dias seguidos de eventos, calçados em beach club e shows como o de Ivete Sangalo, Jorge & Matheus, do DJ Alok, entre outros.

Olho clínico

Para comemorar 29 anos de Casa Cor, as Patrícias – Quentel e Mayer – escolheram um local impactante onde montar o evento deste ano no Rio: nada menos que o antigo prédio do Touring Club do Brasil, uma edificação de 1920, totalmente restaurada, projetada pelo arquiteto francês Joseph Gire.

O mesmo do Copacabana Palace e do Palácio das Laranjeiras.

Meia porção?

O Hamburguinho dos Jardins inova. Está oferecendo desconto de 50% para pessoas que fizeram … cirurgia bariátrica.

Detalhe: o cliente precisa apresentar comprovação.

Leia mais notas da coluna:
+ Disputa se intensifica e acordo de J&F e Paper Excellence fica distante
+ Função da Caixa não é só ‘ser rentável’, diz seu presidente

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.