MinC busca saída legal para parceria irregular com Cuba

Sonia Racy

01 de fevereiro de 2017 | 00h10

O pessoal do Audiovisual do Ministério da Cultura está em busca de um “instrumento jurídico hábil” para não ter que interromper parceria do Brasil com a Escola de Cinema e TV de Cuba.

Motivo? A base legal desse acordo, que existe desde 2009, “não encontra respaldo” na lei brasileira, como informou em nota, ontem, o próprio ministério.

É que esse texto exige, desde 2014, que o outro lado tenha registro jurídico no País – o que a escola cubana não tem.

MinC e Cuba

No momento, 16 brasileiros estudam cinema em Havana por conta desse acordo. Nos últimos dois anos, os repasses ao programa somaram R$ 570 mil.