Mico-leão

Sonia Racy

15 de agosto de 2011 | 23h09

O Ibama de São Paulo vive problemas internos com servidores terceirizados. Parte dos contratados pela Esuta, empresa de Fortaleza, está há oito meses recebendo salários com atraso. Benefícios como vale-transporte e depósito de FGTS também têm sido pagos fora do prazo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: