Meu nome é trabalho

Redação

07 de janeiro de 2009 | 06h00

Tamanho é o entusiasmo dos políticos que nem mesmo a Mesa Diretora da Assembleia paulista conseguiu reunir, anteontem, o mínimo de três pessoas para abrir os trabalhos.

A sessão – que daria posse a quatro dos seis suplentes, pois dois deles faltaram – só aconteceu porque Vaz de Lima, presidente da Casa, cruzou com o deputado Jonas Donizette e o nomeou ali mesmo, na hora, como substituto na Mesa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.