Mercado prevê futura crise de oferta

Sonia Racy

17 de março de 2020 | 07h32

Colheu-se pelo mercado financeiro ontem, diversos comentários sobre o pacote de medidas editadas pelo Ministério da Economia e BC – anúncio antecipado pela coluna no Broadcast.

O mais recorrente se referia ao alvo das decisões: uma suposta crise de demanda. Segundo alguns expoentes do mercado, o alvo deveria ser a futura crise de oferta. “Muita gente já esta parando de produzir”, analisa um diretor de banco.

Cortina fechada

Ivam Cabral, da companhia teatral Os Satyros, ainda não consegue mensurar os prejuízos que a cia terá com o cancelamento das peças, suspensas desde o dia 12. A escola de teatro do grupo fecha suas portas na sexta-feira.

“Não temos nenhuma carta na manga pra driblar isso. O bar dos Satyros fechado também dificulta muito a situação, porque constitui grande parte da nossa arrecadação. E continuamos a pagar aluguel e funcionários”, diz.

As apresentações que a cia faria na Espanha e em Portugal em abril, também foram canceladas.

Fechada 2

Mario Bortolotto, do Cemitério de Automóveis, outra companhia independente de teatro paulistana, ainda não fechou o bar nem cancelou as peças. Mas marcou reunião ontem à noite para decidir o que fazer.

“Se fecharmos agora, é bem possível que tenhamos que fechar definitivamente. Não temos como pagar as contas se não estivermos funcionando”, lamenta Bortolotto.

Após o susto…

Com o coronavírus, a administração de Fernando de Noronha acabou suspendendo todos os eventos na ilha por tempo indeterminado. E por lá, há a expectativa de que, passado o susto com a pandemia, a Embratur reveja a decisão de permitir cruzeiros de 600 pessoas ou mais e naufrágios para exploração turística.

O plano foi anunciado por Flávio Bolsonaro e Gilson Machado, que estiveram em Noronha mês passado.

Susto 2

Aliás, ilhéus contrários ao plano federal, fizeram questão de recordar que, na eleição de 2018, Bolsonaro venceu na ilha nos dois turnos – um marco na região Nordeste, onde o então candidato do PSL perdeu nos nove estados.

Tendências: