Mercado avalia lógica do novo governo para trocar Ilan por Campos Neto

Mercado avalia lógica do novo governo para trocar Ilan por Campos Neto

Sonia Racy

17 Novembro 2018 | 00h50

ILAN GOLDFAJN. FOTO GABRIELA BILÓ/ESTADÃO

Apesar da aprovação geral do nome de Roberto Campos Neto para o BC, integrantes da iniciativa privada especulavam ontem sobre quais foram os motivos que levaram Paulo Guedes a essa decisão. Por que Ilan Goldfajn não fica para tocar o BC nos próximos quatro anos?

Fórmula é não deixar
ninguém sair perdendo…

O mais perto da verdade, segundo apurou esta coluna, tem a ver com o modus “selecionandi” do governo Bolsonaro. A ideia é liberar os que fizeram um bom trabalho mas que por algum motivo não queiram ficar, sem desmerecê-los. E, simultaneamente, não formalizar convite que possa receber um não, desmerecendo o novo governo que os teria distinguido.

…e quem quiser sair sai

A solução é usar basicamente dois critérios para convite: que o convidado tenha feito um bom trabalho e esteja com brilho nos olhos. Estão liberados de convite os que fizeram bom trabalho mas não queiram prosseguir.

Leia mais notas da coluna:
Itamaraty envia e recolhe telegrama sobre posse de Bolsonaro
Luiz Philippe ‘perde’ Itamaraty mas vira deputado