Mercado avalia lógica do novo governo para trocar Ilan por Campos Neto

Mercado avalia lógica do novo governo para trocar Ilan por Campos Neto

Sonia Racy

17 de novembro de 2018 | 00h50

ILAN GOLDFAJN. FOTO GABRIELA BILÓ/ESTADÃO

Apesar da aprovação geral do nome de Roberto Campos Neto para o BC, integrantes da iniciativa privada especulavam ontem sobre quais foram os motivos que levaram Paulo Guedes a essa decisão. Por que Ilan Goldfajn não fica para tocar o BC nos próximos quatro anos?

Fórmula é não deixar
ninguém sair perdendo…

O mais perto da verdade, segundo apurou esta coluna, tem a ver com o modus “selecionandi” do governo Bolsonaro. A ideia é liberar os que fizeram um bom trabalho mas que por algum motivo não queiram ficar, sem desmerecê-los. E, simultaneamente, não formalizar convite que possa receber um não, desmerecendo o novo governo que os teria distinguido.

…e quem quiser sair sai

A solução é usar basicamente dois critérios para convite: que o convidado tenha feito um bom trabalho e esteja com brilho nos olhos. Estão liberados de convite os que fizeram bom trabalho mas não queiram prosseguir.

Leia mais notas da coluna:
Itamaraty envia e recolhe telegrama sobre posse de Bolsonaro
Luiz Philippe ‘perde’ Itamaraty mas vira deputado

Tendências: