Fim do túnel para o varejo

Sonia Racy

10 de agosto de 2016 | 00h51

Apesar das projeções negativas, o mês de junho foi menos ruim para o varejo do que se imaginava. “Estávamos trabalhando com -8% e vieram -6,4%”, comemorou ontem Flávio Rocha, do Instituto para Desenvolvimento do Varejo, com os números na mão.

Em maio, o buraco foi de 10,4%. “Acho que o fundo do poço passou. Ao primeiro sinal de que o impeachment saiu, veremos uma enxurrada de investimentos.”

Rocha lembra que já há sinais da volta confiança do investidor, mas que a do consumidor ainda está adormecida. “Os 88% que têm emprego temem perdê-lo”.

Tudo o que sabemos sobre:

Instituto para Desenvolvimento do Varejo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: