Memórias de Columbine

Sonia Racy

18 de dezembro de 2012 | 01h03

Michael Moore, autor do documentário sobre o massacre de Columbine, postou nota em seu site lembrando que, há uma década, alerta sobre a necessidade do controle de armas. “Essa doença só piorou”, desabafou.

Também twittou: “Para um país que sanciona oficialmente a violência (invade o Iraque, mata crianças com drones e tem pena de morte), é surpresa que um jovem de 20 anos faça isso?’’.

Memórias 2

Procurada, a página no Facebook da Associação Nacional de Rifles, nos EUA, criticada por Moore, desapareceu. Saiu do ar?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.