Memorial da Resistência expõe o dia a dia dos presos da ditadura

Sonia Racy

09 Dezembro 2016 | 11h39

Uma coleção de aproximadamente 70 cartas trocadas entre presos políticos, seus familiares e amigos, durante a ditadura militar, e não tornadas públicas durante mais de quatro décadas, foi selecionada e reunida para a exposição “Carta Aberta: Correspondências na Prisão”, que o Memorial da Resistência abre neste sábado, 10, e que vai até 20 de março.

Temas como chegada à prisão, as transferências e a preparação dos processos integram esses textos, que contam parte da história do País nos anos de chumbo, entre 1969 e 1974. A mostra inclui fotografias, cartões comemorativos e até artesanatos produzido na prisão.

O evento inaugura um novo espaço do memorial, dedicado a exposições temporárias. Os organizadores programam ampliar a mostra, enquanto estiver aberta, com mais material que venha a ser oferecido por ex-presos políticos não contatados na fase de montagem.