Meirelles confirma estudos para privatizar Correios

Meirelles confirma estudos para privatizar Correios

Sonia Racy

23 de setembro de 2017 | 01h00

HENRIQUE MEIRELLES, MINISTRO DA FAZENDA

HENRIQUE MEIRELLES, MINISTRO DA FAZENDA. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

O destino dos Correios entrou na berlinda esta semana. Henrique Meirelles confirmou, em seminário em NY, estudos para privatizar a empresa ou abrir capital. Moreira Franco defendeu a venda, com a ressalva de que a operação é complicada. “Ninguém manda mais carta ou telegrama”, ponderou.

Fala-se que o governo Temer estaria dividido quanto ao que fazer com a estatal quebrada. Dois integrantes do mercado financeiro acreditam não haver comprador atualmente.

Presidente defende
reestruturação

Indagado, o presidente do Correios, Guilherme Campos, tem posição clara. “Não vejo como ou para quem vender antes de completar a reestruturação”, disse ontem.

Capitalização
é alternativa

Mas onde arrumar recursos para acelerar esse processo antes que a empresa se torne inviável? Campos defende capitalização via mercado, sem perda de controle.

E, sutilmente, lembra também que a União “tirou mais de R$ 6 bilhões, de 2007 a 2013, da estatal, a título de antecipação de dividendos, pagos ao Tesouro, para fazer superávit primário”.

Será que querem receber os recursos de volta?

Leia mais notas da coluna:

Fim do horário de verão deve ter impacto positivo para iniciativa privada

Embaixadores muçulmanos pedem combate à islamofobia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: