Meio cheio x vazio

Sonia Racy

28 de junho de 2016 | 01h16

Não foi a primeira vez que Ernesto Tzirulnik deu um jantar a Haddad, como o de sexta-feira. O prefeito lembrou de outro quando se lançou em 2012. “Eu conseguia ter, então, menos intenção de votos que hoje”, brincou o prefeito.

À coluna, o petista confirmou, monossilábico, que quer implantar uma política de compliance em sua campanha.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: