Meio amargo

Sonia Racy

02 de abril de 2010 | 07h10

A Nestlé, de Ivan Zurita, conseguiu liminar na Justiça paulista para proibir Procon e Ipem de tentar “impedir a comercialização e circulação de ovos de Páscoa”.

É que, no dia 24, foram apreendidos ovos da marca em dois mercados de São Paulo, por terem dentro deles brinquedos fora dos padrões do Inmetro. O Ipem está recorrendo.

Mas, cá entre nós, não deve alcançar o coelhinho.