Me inclua… fora disso

Sonia Racy

01 Julho 2016 | 00h51

A Azul incluiu a Abear e a Iata em um longo e-mail enviado a senadores antes da votação da MP aérea, esta semana. Mas, ao que parece, a Azul é autora, sozinha, da missiva obtida por esta coluna com um integrante do Senado.

Me inclua… 2

O que diz o e-mail? Que “a Azul, bem como a associação das cias aéreas brasileiras que representa Azul, Gol, Tam e Avianca, estamos ( sic) muitíssimos preocupados com a negociação do governo em relação à liberalização do capital das empresas aéreas”.

Afirma, ainda, que não vê “necessidade de abrir o capital em 100% sob o argumento de que isso salvará as cias – pois, hoje, algumas empresas como Gol, Azul e Tam dispõem de recursos oriundos de negociações internacionais sem perder o controle acionário”.

Fora disso 2

As empresas nacionais e internacionais, segundo o texto, estão de acordo somente com o aumento do capital estrangeiro de 20% para 49%.“A União ficará sem nenhuma empresa aérea nacional, o que vai em desencontro ao art. 20 da CF/88 (sic)”, acrescenta o e-mail.

Me inclua 3 

Consultada, a Abear negou ter enviado ao Senado qualquer mensagem ou carta. Gol, Tam e Avianca também desconhecem a missiva. Com a Iata, a coluna não conseguiu contato. Questionada sobre por que incluiu a associação e as associadas no texto, a Azul deu a seguinte resposta: “A Azul reforça que, assim como a Abear, defende o aumento da participação de capital estrangeiro nas empresas aéreas brasileiras em até 49%”.