Me dê motivo…

Me dê motivo…

Sonia Racy

27 de março de 2013 | 01h06

Foto: Evelson de Freitas

Pelo que se apurou, foram três os argumentos usados por Aécio para convencer Alckmin a mudar de posição e endossar sua eleição a presidente do PSDB.

Principal deles? O de que o senador mineiro poderá percorrer o País institucionalmente, sem assumir a candidatura ao Palácio do Planalto.

Motivo 2

A construção de palanques pelo Brasil foi o segundo ponto apresentado pelo senador durante a conversa.

Vai identificar onde o PSDB não tem chances de ser cabeça de chapa e formar alianças com os adversários do PT.

Motivo 3

O terceiro item foi a profissionalização do PSDB – principalmente na comunicação. Esse processo teve início com a contratação de Renato Pereira, marqueteiro que já fez as campanhas de Sérgio Cabral, Eduardo Paes e de Henrique Capriles à presidência da Venezuela, em 2012.

Motivo 4

Alckmin acatou os argumentos, mas nada disso teria sido suficiente se o governador não tivesse obtido, antes, um salvo-conduto de Serra. O tucano disse a Alckmin que não almeja cargo – e que fizesse o melhor para o partido em SP.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: