Me dê motivo

Sonia Racy

04 de fevereiro de 2012 | 23h06

A ideia de fazer dois portos perto de Ilhéus não morreu. Tampouco a da ferrovia de R$ 6 bilhões que começa em Caetité e acaba onde o escritor Jorge Amado criou seus célebres personagens.

“Em pleno século 21, estamos descartando corais, recifes e Mata Atlântica para fazer escoar minério de ferro que tem vida útil de 15 anos”, bate o consultor verde Fabio Feldmann. “Agora, me explica onde está a racionalidade disso”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: