Me dê motivo 2

Sonia Racy

29 de março de 2011 | 23h08

É fato que a forma de comunicação de Agnelli foi pautada, em primeiro lugar, pelo mercado de ações.

Foi assim quando o executivo anunciou a demissão de funcionários na crise, evitando desvalorização da empresa e irritando Lula. Outras empresas fizeram o mesmo sem alarde, dispensando gradualmente. E foram poupadas da ira do presidente. Foi assim quando a Vale resistiu à construção de novas siderúrgicas, evitando concorrência com seus compradores. De novo foi criticada por Lula. E assim foi no atendimento de pedido de partidos políticos.

Se ter mentalidade de empresa privada é razão para ser queimado em praça pública…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.