Martelo batido

Sonia Racy

14 de novembro de 2015 | 01h05

Mais de 1.300 documentos de Lothar Charoux passam a integrar o acervo do Instituto de Arte Contemporânea, que já abriga os arquivos pessoais de Sérgio Camargo, Willys de Castro e Sérvulo Esmeraldo.

No material do pintor que o instituto ficou encarregado de organizar e preservar estão desenhos, estudos, cartões de Natal, pinturas com spray, projetos, esboços, fotografias, medalhas, livros e textos.