Mãos à obra

Sonia Racy

15 Outubro 2015 | 01h25

Foi contra Eduardo Cunha, e não contra Dilma, que a Rede de Marina começou, anteontem, a sua “história” parlamentar. Ao lado do PSOL, sua bancada de cinco deputados subscreveu – com apoio de petistas – a representação contra o presidente da Câmara, por quebra de decoro.

Mãos 2

Sem Marina, e com o Congresso pegando fogo, durou apenas 15 minutos, ontem, a segunda reunião da Rede – em Brasília. O suficiente para discutir a montagem de equipe que vai assessorar o novo partido na Câmara.