Mão dura

Sonia Racy

02 de agosto de 2015 | 01h06

Curioso mexeu em arquivos do TCU e constatou: na única vez em que ele reprovou contas de um governo brasileiro… perdeu. Foi em 1937, com os gastos de Getúlio Vargas, analisados pelo relator Thompson Flores.

Inconformado, Vargas baixou ato “colocando em disponibilidade o ministro Flores, que jamais regressou ao tribunal”.

A Câmara aprovou as contas. Daí a alguns meses, Vargas tornava-se ditador.

Tendências: