Manda, não manda

Redação

20 de dezembro de 2008 | 06h00

A guerra em que se transformou a PEC que aumenta o número de vereadores – com ataques de Garibaldi Alves a Arlindo Chinaglia – mandou estilhaços para todo lado.

Em São Bernardo do Campo, a lei aumentaria a bancada petista, dando maioria ao prefeito Luiz Marinho. O sonho acabou quando a PEC foi rejeitada na Câmara. Os tucanos voltaram a mandar na casa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: