Mal amado

Sonia Racy

04 de novembro de 2014 | 01h06

Nos corredores da Transpetro falava-se, ontem, sobre o jeito particular de Sérgio Machado tocar a estatal. Exemplo: convocar assessores para reunião às 17 horas e recebê-los… à meia-noite.

Entre seus hábitos, gritos e ofensas – impublicáveis, segundo testemunha.

Mal amado 2

Há dois anos, Machado fez viagem à Coreia do Sul para receber quatro navios. Na comitiva, levou mãe, mulher, filha e sua secretária pessoal.

A mãe e a secretária batizaram duas embarcações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.