Mais de 2,4 milhões morreram por consumo abusivo de álcool em 2019, aponta levantamento

Mais de 2,4 milhões morreram por consumo abusivo de álcool em 2019, aponta levantamento

Direto da Fonte

19 de fevereiro de 2022 | 00h30

Foto: Unsplash / @robmathews10

 

O recado da Sociedade Brasileira de Cardiologia, obtido pela coluna, é cauteloso, mas incisivo. Mais de 2,4 milhões de pessoas morreram por consumo abusivo de álcool em 2019 – o que significa 4,3% do total de mortes no planeta neste ano, sendo 12,6% delas de homens entre 15 e 49 anos.

A fonte é um levantamento da World Heart Federation (Federação Mundial de Cardiologia), que, no texto, pede “ação urgente e decisiva” da sociedade para conter o problema.

A propósito, o presidente da SBC, João Fernando Ferreira, alerta: “Nenhuma correlação confiável foi encontrada entre consumo moderado e um risco menor de doença cardíaca”.

Corpo presente

Alunos da Universidade Mackenzie criaram movimento para pressionar a reitoria pela volta dos cursos presenciais. O “Volta Híbrido Mack” diz contar com apoio de cerca de 4 mil alunos que não querem mais o modelo 100% remoto. “Muita gente de fora de SP alugou apartamento aqui para começar o curso presencial e nada”, diz uma aluna.

Em nota, a universidade informou que a decisão de adiar a retomada presencial “levou em consideração a proteção à saúde de todos os mackenzistas, assim como da sociedade de modo geral”.

Jardim conjunto

Nos próximos cinco anos, o Museu e Jardim Botânico Inhotim vai atuar em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da USP, em pesquisas científicas e em ações como taxonomia, conservação da flora, produção de plantas e paisagismo, além de trocas de materiais botânicos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.