Mais coisas no ar

Sonia Racy

08 de março de 2012 | 00h09

A ação da Odebrecht e da Changi, questionando o vencedor da concessão do Aeroporto de Viracopos na Anac, está dando o que falar. No mercado das empreiteiras, acredita-se que a empresa baiana não teria tomado tal atitude sem aval do governo Dilma – que teme pela obra nas mãos do consórcio liderado pela Triunfo, UTC e Egis.

No Grupo, a versão acima é motivo de chacota. A ação pode atrasar o processo? “Claro que não, está dentro dos prazos para questionamento. Não é judicial”, explica fonte credenciada da Odebrecht.

Entretanto, se a reclamação administrativa for acatada, a coluna apurou que o consórcio vencedor ameaça acionar o Judiciário, deflagrando gigante embate. E uma Copa… sem ampliação de Viracopos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.