“Maior que no Rio”

“Maior que no Rio”

Sonia Racy

07 Fevereiro 2013 | 01h07

José Patricio/Estadão

O Sebrae estima que cerca de 40 mil vendedores ambulantes, entre licenciados e não-licenciados, atuem no carnaval de Salvador – um faturamento bruto superior a R$ 125 milhões nos dias de festa. Só este pequeno quesito dá a dimensão do que é, hoje, a folia baiana. Para falar um pouco sobre a festa, a coluna entrevistou o novo prefeito da cidade, ACM Neto.

O senhor assumiu a prefeitura agora. O que mudou?

Em 30 dias, não pude alterar muita coisa. Mas, em 2014, farei mudanças. Quero, por exemplo, que nosso carnaval seja autossustentável.

Como assim?

Vamos gastar R$ 35 milhões este ano. De patrocínio, serão R$ 20 milhões. Ou seja, teremos de colocar R$ 15 milhões dos cofres baianos.

Qual a ênfase do senhor?

Estamos agindo com rigor nos serviços públicos. Limpeza, por exemplo. Tínhamos 1,4 mil sanitários no ano passado e, agora, serão 2 mil. E, com a Ambev, montamos 16 espaços climatizados – tipo contêiner – com ar-condicionado e banheiros. Para o trânsito, estamos melhorando o sistema de sinalização e fluxos.

Haverá mais segurança?

Teremos uma central de acompanhamento, câmeras de monitoramento distribuídas por toda a cidade. Vamos assistir a tudo o que acontece e agir no que for preciso.

Mais alguma novidade?

Criamos o projeto-piloto de um “Afródromo” e vamos estreá-lo com desfile de Carlinhos Brown. Pretendo ampliar isso em 2014. E mais: o Itaú investiu na Praça Castro Alves e está montando um palco para atrações locais e internacionais. Haverá trios elétricos saindo de lá. E vamos disponibilizar wi-fi gratuito para 1 milhão de pessoas.

Gosta de carnaval?

Nossa, se gosto! Comecei minha vida profissional na área, trabalhando em carro de bloco de apoio.

Pretende fazer o carnaval de Salvador maior que o do Rio?

Acho que a pergunta deveria ser: quando é que o carnaval do Rio conseguirá ser maior que o de Salvador?(risos) Eduardo Paes terá de rebolar para nos passar.