Magrinho

Sonia Racy

13 de setembro de 2015 | 01h05

Criminalistas se surpreenderam com as modestas dez páginas do inquérito em que a PF investiga Antonio Palocci no âmbito da Lava Jato.
Dele constam a decisão do ministro Teori Zavascki determinando a investigação e o termo de colaboração de Paulo Roberto Costa, no qual este afirma que Alberto Youssef lhe pediu R$ 2 milhões em nome de Palocci para a campanha de Dilma.

Detalhe: não incluíram depoimento de Youssef no qual o doleiro diz não conhecer Palocci e nega ter feito tal pedido.

Tendências: