Macron apoia Carlos Ghosn

Sonia Racy

28 de janeiro de 2019 | 10h29

O presidente francês Emmanuel Macron disse ao primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que está preocupado com o tempo de Carlos Ghosn na cadeia. “O que posso dizer é que achei a detenção muito longa e dura demais, e eu disse isso a Abe”, afirmou Macron a repórteres no Cairo nesta segunda-feira. Referia-se a conversa telefônica com Abe na sexta-feira. “Eu estou preocupado que o caso de um cidadão francês deva respeitar a conformidade básica”.

Foi o comentário mais forte de Macron na crise que já dura dois meses, desencadeada pela prisão e encarceramento que ameaça uma aliança de duas décadas entre Renault e Nissan.

Ghosn é cidadão brasileiro, francês e libanês. Até o momento, o governo brasileiro não se manifestou oficialmente sobre a prisão do executivo.