M de Marina

Sonia Racy

12 de outubro de 2013 | 01h10

Tanto no encontro fechado promovido por GPS e Raps, quinta-feira, como no do Credit Suisse, ontem, Marina Silva fez o maior sucesso entre empresários e investidores privados. Pelo que esta coluna apurou, muitos entraram céticos e saíram balançados com as palestras – que duraram três horas cada.

Os presentes, que ouviram recentemente o socialista Eduardo Campos, compararam as falas de ambos. E só sentiram diferença na inegociável inclusão da sustentabilidade proposta pela ex-senadora. “Não quero barrar o progresso, mas que ele se dê de forma sustentável, continuando a ser lucrativo. Sou socioambientalista, uno o social ao crescimento da economia.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.