‘Luisa Mell é a Bardot brasileira’, diz Rita Lee

‘Luisa Mell é a Bardot brasileira’, diz Rita Lee

Sonia Racy

31 de agosto de 2019 | 00h14

Foto: Guilherme Samora

Não é de hoje que Rita Lee se envolve com a causa animal. A cantora, que lançou recentemente livro infantil inspirado na história da ursa Rowena, salva por Luisa Mell – que Rita chama de “a Brigitte Bardot brasileira”, será a grande homenageada do primeiro jantar beneficente em prol do Instituto Luisa Mell – organizado pela militante em parceria com Amir Slama (foto abaixo), dia 11, no Villagio JK. “Os convites já estão à venda e vamos contar com o apoio da Anitta e do DJ Zé Pedro”, reforça Slama.

Foto: Iara Morselli/Estadão

Por e-mail – única forma em que aceita dar entrevistas – Rita respondeu a algumas perguntas da coluna. Uma delas, sobre sua posição na polêmica sobre as queimadas na Amazônia, tem um tom indignado: “Será que, desta vez, tendo chamado a atenção do planeta inteiro, o governo brasileiro vai finalmente tomar vergonha na cara e cuidar dela como merece?”.

Sua militância com a causa animal é de longa data. Quando e por que os animais despertaram empatia em você?

A pureza existencial deles me faz entender o Divino. Desde pequena eu catava gatos e cachorros de rua, para desespero do meu pai. E desde então me envolvi com a causa do modo como posso, empenhada em dar voz aos bichos.

Em 1980 você escreveu quatro livros infantis sobre o ratinho Alex, que era ambientalista. A propósito, como vê e qual sua avaliação sobre as queimadas na Amazônia e as atitudes do governo perante esses atos?

Há muuito tempo que a mãe Amazônia vem sendo estuprada com todo tipo de desrespeito, não só pelo Brasil mas por vários outros países. Será que, desta vez, tendo chamado a atenção do planeta inteiro, o governo brasileiro vai finalmente tomar vergonha na cara e cuidar dela como ela de fato merece? Ou seremos constantemente humilhados pelo descaso com que a tratamos?

Você já disse que a série dos livrinhos sobre Dr. Alex vai ser reeditada. Isso vai acontecer?

Pretendemos lançar os quatro livrinhos ainda para o fim deste ano. Reescrevi algumas coisas, dei uma atualizada, e todos eles terão novas ilustrações. Guilherme Samora está cuidando disso, sai pela Globo Livros.

No livro sobre a ursa Rowena, há uma homenagem a Brigitte Bardot, apelidando uma das personagens de papisa Bibi. O quanto a atriz francesa a inspira? Vocês se conhecem pessoalmente?

m 1970 fiz um show na França e quase caí no palco quando a vi na plateia. Hoje, nos correspondemos por e-mail e ela acompanhou de longe o resgate de Rowena. La Bardot é minha musa maior, sua reclusão dos holofotes e a luta pela causa animal me faz sentir que estamos no mesmo caminho.

Luisa Mell vai homenageá-la como pioneira na causa animal. Como é a sua relação com ela?

Luisa é nossa Bardot tropical, uma menina que peita corajosamente os gananciosos que usam animais como se fossem meras coisas. E os bichos são nossos companheiros de jornada! Quem merece a homenagem é Luisa, pelo que tem feito pela causa.

Pensa em fazer um último show ou já encerrou o capítulo da carreira musical?
Nesta encarnação, já encerrei o capítulo palco. Mas continuo compondo e, se minha preguiça deixar, posso até pensar em gravar um disco com músicas inéditas./SOFIA PATSCH

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: