Luana Piovani revela seu voto em evento de e-commerce

Luana Piovani revela seu voto em evento de e-commerce

Sonia Racy

03 Outubro 2018 | 00h50

LUANA PIOVANI. FOTO: CHARLES NASEH

Antes de se mudar para Portugal, Luana Piovani revela seu voto: “Sou Marina Silva, porque ela é mulher, negra, nordestina e professora”, disse a atriz durante evento de seu e-commerce de artigos de luxo, o Cansei Vendi, ontem em SP. Ela também se diz “estarrecida” com o cenário das eleições presidenciais deste ano.

“Estamos lidando com uma realidade como se só houvessem dois candidatos e os dois são extremistas”, comentou, sobre a disputa Bolsonaro vs. PT. Confira trechos da conversa a seguir.

O que acha do cenário dessa eleição?
Estamos lidando com uma realidade como se só houvessem dois candidatos e os dois são extremistas. Não consigo entender como alguém pode achar que a solução contra o PT é o Bolsonaro ou vice versa. Fico bastante estarrecida com essa situação. Mas a mim só cabe o meu voto. Essa história de voto útil não existe, útil é votar conforme sua consciência.

Pode dizer em quem vai votar?

Sou Marina Silva, porque ela é mulher, negra, nordestina e professora. É a única que tem um plano de sustentabilidade digno, foi uma das poucas que se comprometeu com as dez medidas contra a corrupção.

O que acha do movimento Mulheres Contra Bolsonaro?
Acho um movimento absolutamente relevante. Um provável presidente da República que dá as declarações que ele deu é extremamente assustador.

Aderiu ao movimento nas redes sociais?
Aderi, já postei #elenão várias vezes. Eu falo ‘elenão’ muito antes de ele ser um perigo para as nossas eleições e para o País. Desde quando ele começou a dar essas declarações malucas e elas começaram a repercutir, o que faz uns dois anos, eu o cataloguei como reacionário, discípulo de uma linha quase nazista.

Você vai mesmo se mudar para Portugal?
Vou. Em janeiro, se Deus quiser! Estou decidida, preparando tudo, porque essas coisas demoram. Só para preparar a viagem do cachorro a gente leva quatro meses, entre vacinas, chips e outros detalhes. /SOFIA PATSCH