Lista tríplice deve sair do projeto sobre indicações ao STF

Sonia Racy

05 de fevereiro de 2020 | 00h56

SESSÃO DO SUPREMO

SESSÃO DO SUPREMO. FOTO: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO

 

O senador tucano Plínio Valério, do Amazonas, começou a negociar ontem com o colega Antônio Anastasia. de Minas, sua emenda que prevê a retirada da lista tríplice do substitutivo à PEC que trata da escolha dos ministros do STF. Quer manter a indicação de livre escolha do presidente da República e acha que, assim, “fica mais fácil passar”. No mais, o texto segue como o relator Anastasia acertou com os proponentes: um ministro do STF passaria a ter mandato máximo de dez anos.

“Hoje, esse cargo é quase vitalício. Eles se sentem semideuses”, disse Plínio à coluna, avaliando como “positiva” a conversa com o colega mineiro. O projeto, que chegou a ser apelidado de “PEC Anti-Moro”, ganhou força após Davi Alcolumbre o listar, esta semana, como prioritário.

Lista tríplice 2

Os senadores trataram de explicar que, se passar, a mudança só valerá em 2023. Ou seja, Bolsonaro está livre pra indicar Moro à vaga de Celso de Mello em novembro. Anastasia, por sua vez, decidiu que só volta a falar do tema publicamente se a presidente do CCJ, Simone Tebet, pautar na comissão.

Goiás lidera ranking
de divórcios amigáveis

Estudo feito pelo IBGE mostrou que dos 385.246 divórcios registrados em 2018 no Brasil, 73.818 foram realizados em cartórios. O número corresponde a 20% do total e é relativo a divórcios extrajudiciais – em que não há filhos pequenos nem litígio. Goiás lidera o ranking, em que 78% do total são separações extrajudiciais. Em São Paulo, só 17% dos divórcios foram finalizados em cartórios.

Em Foz do Iguaçu, um
aeroporto sustentável

Além de se capacitar a receber aviões de grande porte, o aeroporto internacional de Foz do Iguaçu se tornará o primeiro “aeroporto sustentável” do País. O que significa ter painéis para gerar energia própria, infraestrutura para resíduos sólidos, sistema para captar água de chuva e eletroposto. A reforma, que durará um ano e meio, saiu no Diário Oficial da União.

Iphan reinaugura largo
histórico em Florianópolis

Com direito à presença de ministro (do Turismo), governador e do prefeito Gean Loureiro, o presidente interino do Iphan, Robson de Almeida, reinaugura no sábado, em Florianópolis, o Largo da Alfândega, inteiramente remodelado. O investimento chegou a R$ 9,5 milhões.

A obra tem dois destaques fundamentais. Um, a cobertura metálica que reproduz o formato das tradicionais rendas de bilro. O outro, a inclusão dos espelhos d’água que demarcam até onde o mar ia naquele trecho.

No ano passado, o instituto restaurou na capital catarinense o Museu Vitor Meirelles e está concluindo agora a reforma da antiga Alfândega.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: