Líderes tucanos queriam que Perillo coordene campanha de Alckmin

Sonia Racy

07 Junho 2018 | 00h55

GERALDO ALCKMIN

GERALDO ALCKMIN. FOTO: GABRIELA BILO/ESTADÃO

Uma das exigências feitas por líderes tucanos, no jantar em que Alckmin perdeu a paciência, anteontem, é que Marconi Perillo seja o coordenador da sua campanha presidencial, segundo pessoa próxima do ex-governador.

Outra demanda que o irritou, diz a fonte, é que ele atraia partidos aliados prometendo vagas em eventual governo. Alckmin não estaria disposto a adotar prática que, a seu ver, não se alinha mais às atuais demandas da sociedade.

Leia mais notas da coluna:

Macri desiste de ‘diplomacia aérea’ com Temer

Edital do Minc sobre independência do Brasil recebe 241 inscrições