Letras da boemia

Letras da boemia

Sonia Racy

07 de abril de 2019 | 00h55

TARCÍSIO BUENAS FOTO: IARA MORSELLI

Os livros que pertenciam a Tarcísio Buenas (na foto) e Mario Bortolotto foram o pontapé inicial para a criação da Buenas Bookstore. Os dois precisavam se desfazer de partes de suas coleções e Tarcísio teve a ideia de vendê-las dentro do Cemitério de Automóveis – espaço que também abriga um teatro e um bar, na Consolação. A mesa em que as obras eram colocadas cresceu e deu origem a algo maior, que se transformou na livraria. “Não demorou muito pra perceber que a maioria das vendas era feita na madrugada. Daí o slogan: a única livraria que funciona na madrugada paulistana”, explica Tarcísio a respeito do curioso horário de atividade do lugar. Literatura contemporânea e publicações de pequenas editoras independentes recheiam as prateleiras, além de vinis e quadrinhos. “Artistas e bêbados em geral que vagam pela madrugada acabam indo parar na livraria. Eu só tenho a agradecer.”