Lei pró-mulheres que Toffoli sancionou desperta polêmica

Sonia Racy

26 Setembro 2018 | 00h25

 

Entre os que apoiam, há quem se queixe de pontos da lei que o presidente em exercício  Dias Toffoli sancionou anteontem, no Planalto, sobre importunação sexual.

Qual a polêmica? É que o MPF, a partir de agora, não precisará de autorização de ninguém para abrir ação por crimes tratados na lei. Quem teve fotos ou vídeos íntimos vazados sem sua autorização pode ser intimado a depor, mesmo contra a vontade.

Para alguns, isso fere o direito de escolha. A polêmica já existia no Senado, onde a tese de Vanessa Grazziotin, autora do texto, acabou vitoriosa.