Lé sem cré

Sonia Racy

22 de novembro de 2013 | 01h01

Ontem, em palestra na Unesp, o conceituado historiador Giuseppe Vacca, presidente da Fundação Instituto Gramsci, ao narrar encontro de uma delegação chinesa com gente do mercado financeiro na Itália, mencionou o relato de um banqueiro italiano… comunista! A plateia adorou.

Lé sem cré 2

Ao perceber a reação, Vacca lembrou que existem vários desta linha, só que são muito extremistas – o que os tornam comunistas menos fidedignos. Só na Itália!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: