Silêncio inocente

Redação

13 de outubro de 2009 | 08h31

Ficou sem saber o que fazer quem assistiu a um consultor baiano partir para cima de um conterrâneo-empresário no Quadrado de Trancoso, no feriado. Sequer abriu a boca antes de bater no ex-amigo.

Consta que alguém falou demais à Polícia Federal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: