O ‘oitavo jurista’ de Lula

Redação

02 de setembro de 2009 | 07h44

Nem bem Carlos Alberto Direito, do STF, foi-se embora, e já surgem especulações sobre quem será a oitava indicação de Lula para o tribunal. O meio jurídico aposta em dois nomes: Cesar Rocha e José Antônio Toffoli.

Antonio Fernando de Souza: respeitado nos meios jurídicos e no Supremo, tem contra si a classe política. Pois, como procurador-geral da República, denunciou os “40 do mensalão”.

Cesar Asfor Rocha: é talvez o candidato com o mais amplo trânsito pelo poder em Brasília. No Congresso, conhece todos os deputados e senadores que têm alguma relevância. Pelo STF, é visto com certa reserva.

José Antônio Dias Toffoli: o titular da AGU é amplamente apoiado pelo PT e por muitos políticos. Tem boa relação com Lula – mas o meio jurídico e vários ministros do STF acham que sua indicação seria política demais para o Supremo.

Luís Roberto Barroso: candidato com sólida formação acadêmica, um constitucionalista. No STF, tem o apoio dos ministros Marco Aurélio Mello e Celso de Mello, mas não transita muito pela política. Advoga a favor de causas consideradas polêmicas, como o aborto de fetos com anencefalia e a defesa do italiano Cesare Battisti.

Misabel Derzi: aumentaria a presença feminina na Corte. Lula pensou em seu nome quando Ellen Gracie estava para sair do STF.

Roberto Caldas: apesar do pouco trânsito político, conhece Lula e é jovem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.