Nova Luz no fim do túnel

Redação

17 de dezembro de 2009 | 09h23

O clima é de alta ansiedade. Sai amanhã a lista dos escritórios de arquitetura pré-selecionados para disputar a licitação da Nova Luz. Não é nada, não é nada, quem vencer a briga para fazer a revitalização da Cracolândia terá em mãos a primeira concessão urbanística de todo o Brasil.

O limite de cobrança está estabelecido: R$ 12 milhões. E o vencedor será conhecido em fevereiro.

Nova Luz 2

Essa licitação traz uma novidade: o critério experiência terá peso crucial. Razão pela qual boa parte dos interessados montou consórcio com escritórios estrangeiros.

Especula-se que Jorge Wilheim teria se associado ao Norman Foster, de Londres. Não se sabe ainda sobre parcerias de Paulo Mendes da Rocha e Jaime Lerner. .

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.