‘Foi uma pauleira’

Redação

30 de outubro de 2009 | 11h36

Fausto de Sanctis cansou a mão, anteontem, autografando seu novo livro – Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro – até quase 11 da noite na Saraiva do Pátio Higienópolis. Na longa fila, além de procuradores e advogados, muita gente de ONGs que ele ajuda, com recursos de produtos apreendidos pela PF. “Preso aqui não tem nenhum, só seus advogados”, ironizou um amigo.

Como arruma tempo para outro livro? “Foi uma pauleira, nem deu pra respirar.” E fez muita pesquisa? “Temos coisas guardadas e a experiência do dia-a-dia.”

Daniel Dantas fez outra representação. O que pretende fazer? “Vamos seguir em frente.”

Por Gabriel Manzano Filho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.