Lava Jato

Sonia Racy

15 de novembro de 2014 | 01h10

A operação deflagrada ontem pela Polícia Federal – considerada histórica por incluir, em uma só ação, as maiores empreiteiras do País envolvidas em um mesmo escândalo – foi interpretada, por alguns advogados envolvidos, como uma forma de “constranger” seus clientes para obter confissões.

Seja por meio da chamada delação premiada ou mesmo espontânea.

Lava Jato 2

Segundo o raciocínio desses advogados, seus clientes se colocaram à disposição da Justiça há tempos e jamais foram chamados para depor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.