Lava Dentro

Sonia Racy

23 Julho 2015 | 08h52

Com a decisão de abandonar o caso e ir embora para Miami, anunciada ontem por Beatriz Catta Preta –– advogada responsável pelas delações premiadas de Pedro Barusco, de Paulo Roberto Costa mais suas filhas e genros e de Julio Camargo e Augusto Mendonça Neto, da Toyo Setal, voltou à cena tema que vem sendo discutido entre criminalistas.

 

A pergunta: pode a mesma advogada trabalhar para um delator e, depois, para outro que, em alguns casos, foi delatado pelo primeiro?

 

Lava dentro 2

 

A dúvida: tendo conhecimento detalhado da primeira delação, como garantir que o profissional contratado pelo segundo cliente não vai instruí-lo a repetir a mesma versão do primeiro (para que a delação não caia) e assim por diante?